o flamengo precisa se reinventar

O futebol apresentado pelo Flamengo nas duas partidas contra o Fluminense foi decepcionante. Mesmo com a vitória no último jogo, ficou evidente a dificuldade enfrentada pelo time diante de um adversário tradicional, mas, com elenco bastante limitado. Quais as razões para desempenho abaixo das expectativas? Os rumores de saída de Jorge Jesus contribuíram? O desempenho do tricolor carioca contribuiu para o futebol ruim? Será que quarta-feira o Flamengo volta a encantar?

Para mim, tanto os rumores que dão conta sobre uma possível saída de Jorge Jesus, quanto a estratégia de jogo do Flu contribuíram para que as duas partidas transcorressem com o time do Mengão preso e incomodado dentro de campo.

Os indícios de uma provável saída de Jorge Jesus trazem um impacto terrível no vestiário, especialmente se os jogadores, assim como a torcida, tiverem dúvidas sobre a continuidade do trabalho da atual comissão técnica. O espírito aguerrido do treinador à beira do campo contagiou todos desde o ano passado até a parada em razão da quarentena. Dentro de campo não havia um jogador que liderasse o elenco. O líder estava no banco de reservas e era o técnico português. Por isso, se no vestiário houver dúvidas a respeito da permanência do Mister, provavelmente isso contribuiu para o desempenho do time nas últimas duas partidas.

Por outro lado, a estratégia da equipe do Fluminense também colocou em dificuldade o Flamengo. No primeiro jogo entre as equipes, viu-se, na primeira etapa, um time do Fluminense com mais vitalidade, mais jovem, com uma marcação ajustada. No segundo jogo, o Fluminense conseguiu incomodar ainda mais, mesmo saindo derrotado, pois conseguiu fazer frente ao Flamengo nas duas etapas da partida. A estratégia lembra muito a estratégia adotada pelo River Plate na final da Libertadores. Marcação ajustada e jogo mais físico do que técnico.

Este contexto reflete o desafio que enfrentará o rubro-negro no Brasileirão, que em breve terá início. A questão Jorge Jesus é central. A permanência do treinador é muito importante. No entanto, se sair, a sua substituição deve ser feita com muita inteligência, sobretudo com a escolha de um treinador com alto grau de exigência e que consiga tirar o melhor do elenco. Sampaoli, sem dúvidas, seria a melhor opção. Técnico que cobra muito os jogadores, ofensivo e corajoso.

Enquanto JJ não diz se fica ou se sai, para quarta-feira o time precisa entrar focado e criar alternativa de jogo que surpreenda o Fluminense, que parece ter encontrado a fórmula para dificultar o jogo do Flamengo. Tal fato será recorrente durante o ano, tendo em vista o sucesso do time no ano anterior. Será preciso se reinventar. Pedro e Michael vêm pedindo passagem no time titular. Pedro Rocha e Thiago Maia merecem mais oportunidades. Vamos aguardar e torcer para um novo Flamengo com o mesmo futebol que encantou e nos encheu de orgulho em 2019.

SRN

Conteúdo exclusivo do Clube mais Querido do Brasil