Craque o flamengo faz em casa!!!

Em coluna anterior, quando Dome estava em dúvida se utilizaria Renê improvisado na lateral-direita ou o jovem Matheuzinho no jogo contra o Grêmio pelo Campeonato Brasileiro de 2020, eu perguntei: craque o Flamengo AINDA faz em casa?

Naquela oportunidade, Dome corretamente escalou Matheuzinho e o jogador, que ganhou outras oportunidades, já somou duas assistências no time principal. Assim, minha pergunta começou a ser respondida.

Contudo, após o surto de coronavírus no elenco rubro-negro no Equador, a Comissão Técnica viu-se forçada a escalar jovens da categoria de base em grande quantidade e o resultado foi absolutamente fantástico.

Os jovens que entraram em campo possuem histórico vencedor na base, o que demonstra a qualidade de cada um deles. Após esses 2 jogos, pelo menos 3 deles devem ter lugar cativo no elenco: Hugo, Natan e Ramon. Todos, inclusive, possuem potencial para brigar pela condição de titular.

Assim, apesar de todo o sufoco causado pela contaminação em massa da equipe, para o Flamengo fica a lição de que JAMAIS deve esquecer seu lema: “Craque o Flamengo faz em casa”.

Foi a frase que ouvi de meu pai quando ainda era um pequeno torcedor e que deve passar de geração para geração de torcedores do Flamengo. Na Gávea e no Ninho surgiram jogadores absolutamente fantásticos como Zico, Leandro, Júnior, Aldair, Mozer, Leonardo, Zinho, Marcelinho, Djalminha, Sávio, Adriano, VJr etc.

A nova geração, a meu ver, é a melhor desde a geração dos anos 90, que tinha os já mencionados Djalminha e Marcelinho, entre outros. Agora o Clube deve formular um planejamento para que esses jogadores permaneçam o maior tempo possível. Um fator determinante nesse processo é evitar a contratação de jogadores medianos que retirem espaço promissores como Hugo, Matheuzinho, Noga, Natan, Ramon, Gomes, Richard, Yuri, Lázaro, Muniz e Guilherme Bala.

Escolhas devem ser feitas ainda nesta temporada, pois jogadores como L. Pereira, Renê e Vitinho, por exemplo, não demonstram rendimento suficiente para justificar a preferência que possuem no elenco em relação aos jovens Natan, Ramon e Guilherme Bala (Lázaro).

Olhar para a base é mais que uma necessidade, é um dever que a HISTÓRIA do FLAMENGO impõe aos atuais dirigentes e Comissão Técnica, que comandam o Clube.

SRN

Conteúdo exclusivo do Clube mais Querido do Brasil